14.3.18

Os céus não se alegram com a morte de um ateu. Muito pelo contrário.


Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento é a mais perfeita tradução de sua obra. Talvez por esse motivo - somado à firme convicção de sua salvação - tantos cristãos tenham raiva quando uma personalidade famosa declara que "Deus não existe", ou que não acredita nELE.

Esquecem-se as pessoas em questão de que o céu não será povoado somente pelos cultos. Cada um, aliás, é responsável pelas suas próprias decisões diante de Deus - ainda que, em sua vontade soberana, este tenha decidido que tal coisa seria assim, ou outra seria assado. 

Não nos cabe, pois, questionar aquilo que Deus já determinou "antes da fundação do mundo" - e, tampouco, imaginar que ELE estaria feliz com a entrada de alguém na perdição eterna.

...

Imaginar-se vingado porque um gênio como Stephen Hawking foi ver se Deus existe (e supor o seu assombro com a provável passagem para o inferno que cavou) é se esquecer de que o mal habita no coração do homem, e de que o Pai, em sua infinita bondade, não se agrada do fim de um pecador - ainda que o tenha desprezado tanto, no íntimo de seu coração, que declarou:

"Agora a ciência oferece uma explicação mais convincente. O que quis dizer quando disse que conheceríamos ‘a mente de Deus’ [escreveu isso no livro “Breve História do Tempo”] era que compreenderíamos tudo o que Deus seria capaz de compreender se por acaso existisse. Mas não há nenhum Deus. Sou ateu. A religião acredita em milagres, mas estes são incompatíveis com a ciência”
Talvez, nesse caso, ler Isaac Newton ajudaria, quando este disse:
"Este magnífico sistema do sol, planetas e cometas, poderia proceder somente do conselho e domínio de um Ser inteligente e poderoso. E, se as estrelas fixas são os centros de outros sistemas similares, estes, sendo formados pelo mesmo conselho sábio, devem estar todos sujeitos ao domínio de Alguém; especialmente visto que a luz das estrelas fixas é da mesma natureza que a luz do sol e que a luz passa de cada sistema para todos os outros sistemas: e para que os sistemas das estrelas fixas não caiam, devido à sua gravidade, uns sobre os outros, Ele colocou esses sistemas a imensas distâncias entre si.". 
Ou seja: Deus existe, e o Universo é a prova de que ELE é o que é.

...

Um cristão genuíno, daqueles que se indigna com a lista dos perseguidos do "Portas Abertas" e que amaldiçoa até o fundo de sua alma o liberalismo progressista dos tempos modernos, certamente estaria lá para cutucar com um garfo bem fundo no corpo regenerado de um pecador confesso. Antes, porém, não custa lembrar que a Igreja não cresceu por conta da intrepidez de Pedro, mas dos exemplos firmes de um bando de pessoas que podem ser consideradas "malas sem alça" para o mundo - mas que entendem o "IDE" como um chamado, e, principalmente, como um alerta.

Muitos gênios entrarão, em vida, pelos átrios do inferno, provavelmente clamando contra um Deus injusto que não viu o que fizeram em vida. Poucos destes, contudo, poderão ser inteligentes o bastante para perceber que ELE é o que é, e Salvação não significa "fazer o bem", mas sim aceitar o sacrifício de Cristo, e perceber o quão inútil é toda sabedoria humana comparada com o Altíssimo.

Assim como, bem lá no fundo, Deus não se compraz com a perda de uma alma. Pelo contrário.